.Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Sondagem

.ROINES RUTIS

O site - www.rutis.org

.Comentários

O racismo é um problema que parece interessar para...
Não devemos ficar olhar para o nosso umbigo, porqu...
Tais reacões são de quem vive numa sociedade oprim...

.Arquivos

AGENDA ROINESXXI

.Links

.SENIORS - MAYORES - ANZIANI - 前輩 > SENIOR LIFE IN THE WORLD

ROINESXXI = SÉNIOR do século XXI | Journal du XXI siècle - Journal of XXI century - Diario del siglo XXI – Jornal do século XXI - Journal di XXI secolo | Portugal tem 245 universidades seniores, 35 mil alunos e 4.500 professores voluntários | Museu do Louvre (Paris) recebe 10 milhões de turistas/ano, Portugal recebe (2019) 27 milhões de turistas | Portugal apresenta o mais baixo nível salarial dentro da Zona Euro | Lisboa é das cidades mais "baratas" da Europa, Zurique é a mais cara | Mais de 692 mil pessoas já viram este blog | Tríade para ser feliz: QUERER, APRENDER, FAZER | A Constituição Portuguesa tem 296 artigos | Portugal tem 308 municípios e 3 091 freguesias | Dia dos roinesianos é a 19 de Fevereiro | Existem no mundo mais de 2.700 línguas, a mais falada é o mandarim | Cabo Girão (na Madeira) é o promontório mais alto da Europa e o 2.º mais alto do Mundo | A igreja Católica em Portugal tem 52 bispos e 3.797 padres | Blog ROINESXXI / address > https://roinesxxi.blogs.sapo.pt/
Segunda-feira, 6 de Abril de 2020

O VÍRUS E A VIDA

Sempre houve pandemias

De entre as muitas mensagens que recebi sobre a pandemia do Covid-19, uma reteve especialmente a minha atenção: a melhor forma de honrar as vítimas mortais desta pandemia é colher dela as melhores lições para a nossa vida futura. Isto não significa que tenhamos algo a agradecer a este vírus, como se ele fosse um bem. Mas tentar colher de um mal terrível algum bem. Na verdade, são várias e importantes as realidades que este mal nos faz redescobrir.

Uma delas é o do valor supremo da vida humana. Todas as mudanças do nosso quotidiano, todo o caos económico e social que se está a gerar, só têm justificação porque todos queremos salvar vidas humanas. Esperam-se danos económicos de valor incalculável, que não são apenas lucros de grandes empresas e de clubes de futebol, são salários e empregos de pessoas comuns. Mas acima desses danos está o valor da vida humana.

Esse valor é também o da vida de pessoas idosas, a maioria das vítimas mortais desta pandemia. O valor da vida não se mede pelo número de anos de “expectativa de vida com qualidade” ou pela sua “importância social” (por isso, não aceito que estes possam ser critérios de seleção das vidas a salvar). Esse valor é sempre o mesmo, para novos ou velhos.

Diante desta tragédia, vem também em particular evidência a importância do bem comum, isto é, do bem de todos e de cada um. É impossível negar essa importância diante deste caso, que justifica severíssimas limitações da autonomia individual. Nenhuma pessoa é uma ilha e todos dependemos de todos, para o bem e para o mal.

O que não significa que a limitação da liberdade individual que esta situação reclama se deva estender para além deste caso excecional. Se podemos colher alguma lição do modo como a China lidou com esta pandemia, tal não implica que o seu regime de controlo social que abrange todos os âmbitos da vida social (não muito longe da figura do Big Brother do livro 1984, de Orwell) tenha algo de positivo.

Só uma consciência ampla, nítida e forte do bem comum permitirá superar esta pandemia e todas as suas consequências. Um bem comum que tem uma dimensão nacional e universal.vi.jpg

Não partilho a ideia de que esta pandemia nos deve levar a travar a globalização (o comércio internacional, o turismo, as migrações), com o regresso das fronteiras que se foram abolindo. Poderão ser limitadas as viagens aéreas (com as vantagens ecológicas daí decorrentes), muitas das quais, com o recurso a reuniões por videoconferência, se revelam agora dispensáveis.

Mas não podem perder-se as vantagens da globalização, que tem contribuído para a redução da pobreza e para a aproximação dos povos e culturas. Sempre houve pandemias, muitas bem mais mortíferas, antes desta era da globalização. Urgente é, como de há muito se diz sem que tal se concretize, implementar, para além da globalização económica, a globalização da solidariedade.

Há que conjugar esforços, mais do que erguer muros. A este respeito, veja-se a repulsa que causou a tentativa de Donald Trump de comprar o exclusivo dos direitos de exploração de uma eventual vacina, que o laboratório alemão em causa recusou, por a querer destinar a toda a humanidade.

Mas o que, mais do que tudo, esta tragédia nos faz redescobrir é a vulnerabilidade do ser humano diante da doença e da morte. Um minúsculo vírus põe de rastos todo um sistema económico e social. Que lição de humildade a aprender! Vem à memória a célebre frase de São João Crisóstomo: «Tudo é vaidade das vaidades!»

Diante desta experiência mais forte e evidente da precariedade da vida, temos uma ocasião propícia para redescobrir Deus, a quem devemos a vida e que nos chama à Vida eterna.

> Pedro Vaz Patto

publicado por j.gouveia às 10:47

link do post | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres





REDE
UNIVERSAL
DE NOTÍCIAS

João Godim

FREELANCER


contador de visitas
Contador de visitas
Diseño Web Sevilla



Mil Canções
dos últimos 30 anos


>REPORTAGENS

>EUROPA DIRECT

>METEOROLOGIA

>SOS URGENCIAS

>AEROPORTO LISBOA

>AEROPORTO MADEIRA

>TABELA DE MARÉS

.Fotos


GALERIA ROINESXXI
ROINES NOS MEDIA

.subscrever feeds

.pesquisar

 

EUROMILHÔES


BLOGS RECOMENDADOS


Ecclesia
Museu da Imprensa
Regador do Frei Boléo
Começar de Novo
Contextos Históricos
Portugalidade
USTV
Diversidades
Motivo(s) em foco
Guiné - Bart 1914
A TERRA E A GENTE
Actualidade
O Guardião
Fernando Pessoa
Eça de Queiroz
Laurinda Alves
Livros
Leituras
Livros em português
Hábito de Leitura
Casa dos Poetas
Biblioteca Nacional
Observatório da Língua
Língua Portuguesa no Mundo
NOVA ORTOGRAFIA
Português no Mundo Árabe
Observatório da Emigração


José Régio/João Vilaret
A Procissão/João Vilaret
Pablo Neruda
Gabriel Garcia Marques


Coro da Catedral
Projecto Tio
Televisão Saloia
U.Sénior Machico
U.Sénior Funchal
Academia Sénior
Gastronomia Madeirense

PAISES DO MUNDO

11 DE SETEMBRO 2001

ENCICLOPÉDIA UNIVERSAL

FILMES DE OURO

FILMES PORTUGUESES

LA BALLADE DES GENS HEUREUX
LA VIE EN ROSE
ODE TO MAASTRICHT

VIDEOS MUSICAIS

Amália Rodrigues
Conjunto Académico João Paulo / Sérgio Borges
Manuel Freire
António Prieto
Love Story
Demiss Roussos
Frank Sinatra
Sinatra e Jobim
Vinicius de Moraes
Roberto Carlos
Julio Iglesias
Chico Buarque
Elvis Presley
Conjunto João Paulo
Música árabe
Música céltica
Maria Callas
Laura Pausini
Andrea Bocelli
Música relaxante
Vangelis
Mozart
You light up my Life
Beethoven
Franz Liszt
BeachBoys
Beatles
Elton John
Gigliola Cinquentti
Edith Piaf
Celine Dion
Pavarotti
Louis Armstrong
Nat King Cole
Dont Worry Be Happy

AS MAIS FAMOSAS CANÇÕES DE NATAL

VIOLA OK
Viola clássica Viola/Guitarra
Guitarra/Carlos Paredes
Viola/Gips Kings
Viola/intantil!
Viola/genial!!!
Guitarra Espanhola
Viola:Over the Rainbow
Viola: Kenny Rogers
Viola:José Feliciano