.Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Sondagem

.ROINES RUTIS

O site - www.rutis.org

.Comentários

Concordo inteiramente com Platão. Joaquim Cosme
Com humor diz-se verdades. Os meus parabéns.
Como é que esta gente pode construir um futuro mel...

.Arquivos

AGENDA ROINESXXI

.Links

.SENIORS - MAYORES - ANZIANI - 前輩 > SENIOR LIFE IN THE WORLD

ROINESXXI = SÉNIOR do século XXI | Journal du XXI siècle - Journal of XXI century - Diario del siglo XXI – Jornal do século XXI - Journal di XXI secolo | Portugal tem 245 universidades seniores, 35 mil alunos e 4.500 professores voluntários | Museu do Louvre (Paris) recebe 10 milhões de turistas/ano, Portugal recebe 18 milhões de turistas | Portugal apresenta o mais baixo nível salarial dentro da Zona Euro | Lisboa é das cidades mais "baratas" da Europa, Zurique é a mais cara | Mais de 455 mil pessoas já viram este blog | Tríade para ser feliz: QUERER, APRENDER, FAZER | A Constituição Portuguesa tem 296 artigos | Portugal tem 308 municípios e 3 091 freguesias | Dia dos roinesianos é a 19 de Fevereiro | Existem no mundo mais de 2.700 línguas, a mais falada é o mandarim | Cabo Girão (na Madeira) é o promontório mais alto da Europa e o 2.º mais alto do Mundo | A igreja Católica em Portugal tem 52 bispos e 3.797 padres | Blog ROINESXXI / address > https://roinesxxi.blogs.sapo.pt/
Domingo, 5 de Agosto de 2018

NÃO MATARÁS

Um discurso recente do Papa Francisco representa um decisivo passo em frente no sentido da condenação da pena de morte em qualquer circunstância e por uma questão de princípio.

Afirmou o Papa: "Deve afirmar-se energicamente que a condenação à pena de morte é uma medida desumana que, independentemente do modo como for realizada, humilha a dignidade pessoal. Em si mesma, é contrária ao Evangelho, porque voluntariamente se decide suprimir uma vida humana que é sempre sagrada aos olhos do Criador e cujo verdadeiro juiz e garante, em última análise, é apenas Deus.

Nunca homem algum, nem sequer o homicida, perde a sua dignidade pessoal, porque Deus é um Pai que sempre espera o regresso do filho, o qual, sabendo que errou, pede perdão e começa uma vida nova. Por conseguinte, a ninguém se pode tirar não só a vida, mas até a própria possibilidade de um resgate moral e existencial que redunda em proveito para a comunidade".

m2.jpg

Já São João Paulo II, na encíclica Evangelium vitae tinha dado um passo nesse sentido, afirmando que a pena de morte só poderia encontrar justificação num princípio de legítima defesa social (não numa ideia de proporcionalidade com a gravidade do crime cometido) e que serão hoje praticamente inexistentes as situações em que ela se possa justificar por não existiram alternativas de defesa da sociedade perante a perigosidade de um delinquente.

Seria de esperar este passo seguinte dada pelo Papa Francisco, que nega a legitimidade da pena de morte por uma questão de princípio. Na verdade, a tentativa de basear a legitimidade da pena de morte na legítima defesa social encontra dois obstáculos.

Por um lado, quando se executa a pena de morte, não se verifica, como se verifica nas situações de legítima defesa, uma agressão atual e iminente (não é legítima a defesa preventiva). Por outro lado, quando se provoca a morte de um agressor ilegítimo, esta não é diretamente querida (o que diretamente se pretende é a defesa própria ou alheia), mas um efeito indirecto não intencional. E isso não se verifica quando se executa a pena de morte.

m3.jpg

Esta evolução da doutrina da Igreja tem dado aso, nos Estados Unidos, a uma polémica em que uma das fações põe em causa a legitimidade do que alega ser uma rutura com a doutrina tradicional, que admitia a legitimidade da pena de morte, rutura de onde resultaria o descrédito de toda a autoridade moral da doutrina da Igreja.

A outra fração responde salientando que a aceitação da pena de morte (também rejeitada por alguns Padres da Igreja) não pode considerar-se doutrina definitiva.

A propósito de uma outra questão, onde também se deu uma evolução da doutrina católica, a questão da liberdade religiosa, o Papa emérito Bento XVI, afirmou, no seu célebre discurso à Cúria Romana de 2005, que uma aparente descontinuidade revela uma continuidade num plano mais profundo.

O reconhecimento do valor da liberdade religiosa no Concílio Vaticano II não é uma cedência às influências da cultura contemporânea, nem uma verdadeira rutura com a doutrina tradicional, antes um seu aprofundamento num sentido de uma maior fidelidade à mensagem original do Evangelho, ao anúncio de um Deus que não se impõe coercivamente, porque é Amor. Dizia também São João XXIII que o Evangelho não muda, nós é que o conhecemos melhor.

m1.jpg

De modo paralelo, também a recusa da pena de morte por princípio representa uma fidelidade maior à mensagem bíblica e evangélica. Deus não quer a morte do pecador, mas que ele se converta e viva (Ez 18,23).

A dignidade da pessoa não se perde com a indignidade dos pecados ou crimes que possa cometer, por muitos graves que estes sejam (vejam-se os episódios da mulher adúltera e do filho pródigo). A justiça não se confunde com a vingança (com o “olho por olho, dente por dente”) e deve ser completada pela misericórdia.

A pena de morte fecha as portas a qualquer conversão, reconciliação e misericórdia. De forma contraditória, pretende combater crimes contra a vida através de um ataque à vida, com o que isso representa de antipedagógico numa perspetiva de afirmação de uma cultura da vida.

Com a rejeição mais clara da pena de morte, a Igreja não se descredibiliza; pelo contrário, reforça a sua autoridade moral para condenar, com coerência, todas as violações da vida humana, em todas as suas fases, da conceção até à morte natural, de inocentes e culpados, de justos e pecadores.
> Pedro Vaz Patto

publicado por j.gouveia às 11:26

link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Joaquim Cosme a 7 de Agosto de 2018 às 12:31
Não concordo com a pena de morte.
Joaquim Cosme

Comentar post



REDE
UNIVERSAL
DE NOTÍCIAS

João Godim

FREELANCER


contador de visitas
Contador de visitas
Diseño Web Sevilla



Mil Canções
dos últimos 30 anos


>REPORTAGENS

>EUROPA DIRECT

>METEOROLOGIA

>SOS URGENCIAS

>AEROPORTO LISBOA

>AEROPORTO MADEIRA

>TABELA DE MARÉS

.Fotos


GALERIA ROINESXXI
ROINES NOS MEDIA

.subscrever feeds

.pesquisar

 

EUROMILHÔES


BLOGS RECOMENDADOS


Ecclesia
Museu da Imprensa
Regador do Frei Boléo
Começar de Novo
Contextos Históricos
Portugalidade
USTV
Diversidades
Motivo(s) em foco
Guiné - Bart 1914
A TERRA E A GENTE
Actualidade
O Guardião
Fernando Pessoa
Eça de Queiroz
Laurinda Alves
Livros
Leituras
Livros em português
Hábito de Leitura
Casa dos Poetas
Biblioteca Nacional
Observatório da Língua
Língua Portuguesa no Mundo
NOVA ORTOGRAFIA
Português no Mundo Árabe
Observatório da Emigração


José Régio/João Vilaret
A Procissão/João Vilaret
Pablo Neruda
Gabriel Garcia Marques


Coro da Catedral
Projecto Tio
Televisão Saloia
U.Sénior Machico
U.Sénior Funchal
Academia Sénior
Gastronomia Madeirense

PAISES DO MUNDO

11 DE SETEMBRO 2001

ENCICLOPÉDIA UNIVERSAL

FILMES DE OURO

FILMES PORTUGUESES

LA BALLADE DES GENS HEUREUX
LA VIE EN ROSE
ODE TO MAASTRICHT

VIDEOS MUSICAIS

Amália Rodrigues
Conjunto Académico João Paulo / Sérgio Borges
Manuel Freire
António Prieto
Love Story
Demiss Roussos
Frank Sinatra
Sinatra e Jobim
Vinicius de Moraes
Roberto Carlos
Julio Iglesias
Chico Buarque
Elvis Presley
Conjunto João Paulo
Música árabe
Música céltica
Maria Callas
Laura Pausini
Andrea Bocelli
Música relaxante
Vangelis
Mozart
You light up my Life
Beethoven
Franz Liszt
BeachBoys
Beatles
Elton John
Gigliola Cinquentti
Edith Piaf
Celine Dion
Pavarotti
Louis Armstrong
Nat King Cole
Dont Worry Be Happy

AS MAIS FAMOSAS CANÇÕES DE NATAL

VIOLA OK
Viola clássica Viola/Guitarra
Guitarra/Carlos Paredes
Viola/Gips Kings
Viola/intantil!
Viola/genial!!!
Guitarra Espanhola
Viola:Over the Rainbow
Viola: Kenny Rogers
Viola:José Feliciano