.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
25
26
27
28
29
30

.Sondagem

.ROINES RUTIS

O site - www.rutis.org

.Comentários

Foi uma visita fantástica...!!!É inexplicável a se...
Venho agradecer a sugestão é um livro que retrata...
Já lá estive e de fato é uma ilha com uma orografi...

.Arquivos

AGENDA ROINESXXI

.Links

.SENIORS - MAYORES - ANZIANI - 前輩 > SENIOR LIFE IN THE WORLD

ROINESXXI = SÉNIOR do século XXI | Journal du XXI siècle - Journal of XXI century - Diario del siglo XXI – Jornal do século XXI - Journal di XXI secolo | Portugal tem 245 universidades seniores, 35 mil alunos e 4.500 professores voluntários | Museu do Louvre (Paris) recebe 10 milhões de turistas/ano, Portugal recebe 18 milhões de turistas | Portugal apresenta o mais baixo nível salarial dentro da Zona Euro | Lisboa é das cidades mais "baratas" da Europa, Zurique é a mais cara | Mais de 455 mil pessoas já viram este blog | Tríade para ser feliz: QUERER, APRENDER, FAZER | A Constituição Portuguesa tem 296 artigos | Portugal tem 308 municípios e 3 091 freguesias | Dia dos roinesianos é a 19 de Fevereiro | Existem no mundo mais de 2.700 línguas, a mais falada é o mandarim | Cabo Girão (na Madeira) é o promontório mais alto da Europa e o 2.º mais alto do Mundo | A igreja Católica em Portugal tem 52 bispos e 3.797 padres | Blog ROINESXXI / address > http://roinesxxi.blogs.sapo.pt/
Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

"A BOA ESCRITA E A BOA LEITURA" DERRUBAM BARREIRAS

Temos de ser cuidadosos

com a considerada boa literatura

O Prémio Nobel de Literatura 2017, Kazuo Ishiguro, considera que, após a queda do "Muro de Berlim", em 1989, o mundo vive uma era de "complacência e oportunidades perdidas", dominada por "enormes desigualdades". O escritor britânico, de origem japonesa, denunciou a situação actual no discurso proferido em Estocolmo, na Academia Sueca, no passado dia 7.

Na ocasião, condenou também as "ideologias de extrema-direita", "nacionalismos tribais", alertou para o racismo, e referiu-se em concreto a 2016, como um ano marcado por acontecimentos políticos deprimentes, na Europa e nos Estados Unidos, contrariando os valores liberais que considerava garantidos.

O autor de "Os Inconsolados", de 63 anos, passou em revista os momentos mais significativos do seu percurso, que foram pontos de viragem na sua vida literária, e referiu-se com pessimismo ao presente, acrescentando ainda que só recentemente percebeu que "vivia há uns quantos anos numa bolha”, alheado da "frustração e preocupações" de muitas pessoas em seu redor.

A queda do "Muro de Berlim" permitiu, segundo Ishiguro, "o crescimento de enormes desigualdades - de riqueza e oportunidades - entre países e dentro destes".

l1.jpg

O Nobel da Literatura referiu-se à "invasão desastrosa do Iraque em 2003" e aos "longos anos de políticas de austeridade impostas às pessoas comuns, após a escandalosa crise financeira de 2008".

Estas circunstâncias levaram a um presente em que "proliferam ideologias de extrema-direita e os nacionalismos tribais", e o regresso do racismo "nas suas formas tradicionais e nas suas versões modernas e maquilhadas", um fenómeno que desperta "sob as nossas ruas civilizadas como um monstro que desperta".

O autor de "Quando Éramos Órfãos” entende que, por outro lado, tudo que aconteceu em 2016 forçou-o a admitir que "o avanço imparável dos valores liberais que ele tinha dado por certo", desde sua infância, “poderá ter sido uma mera ilusão".

Para Ishiguro, atualmente, parece faltar "uma causa progressista que nos una". "Em vez disso" – acrescentou - "mesmo nas democracias ricas do Ocidente, estamos a dividir-nos em facções rivais, competindo como cães, por recursos e poder".

No termo da sua intervenção, na Academia Sueca, Ishiguro fez um apelo à comunidade literária: "É difícil mudar o mundo, mas pensemos no modo como podemos mudar o nosso 'pequeno mundo' da literatura, onde escrevemos, lemos, recomendamos, criticamos e premiamos os livros. Se pretendemos ter um papel relevante neste futuro incerto, se pretendemos obter o melhor dos escritores de hoje e de amanhã, temos de ampliar a nossa diversidade".

l2.jpgl3.jpgl5.jpg

> Em primeiro lugar, devemos ampliar o nosso mundo literário, para incorporar muitas mais vozes provenientes de outras, que não as 'zonas de conforto' do primeiro mundo. Temos de procurar mais energia para descobrir o melhor de culturas literárias desconhecidas, tanto de escritores de países distantes, como nas nossas próprias comunidades".

> Em segundo lugar, temos de ser cuidadosos com o que consideramos boa literatura; não podemos ser conservadores, nem estreitar a nossa definição. A próxima geração trará todo o tipo de novos modos, importantes e maravilhosos, de contar histórias. Temos de manter a mente aberta, em especial no que diz respeito a género e forma, para poder apoiar e aplaudir os melhores".

A concluir observou que "num tempo de divisões perigosamente crescentes, devemos escutar. A boa escrita e a boa leitura que derrubam barreiras. Temos de encontrar uma nova ideia, uma grande visão humanista em torno do que congregamos", disse o autor que tem vários livros publicados em Portugal: “Os Despojos do Dia”, “As Colinas de Nagasaki”, “Um Artista do Mundo Transitório", “Quando Éramos Órfãos”, “Nocturnos”, “O gigante enterrado”.

publicado por j.gouveia às 10:04

link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Maria Bilhardo a 15 de Dezembro de 2017 às 10:10
Já Saramago dizia o mesmo.
É que não basta ler, é preciso saber escolher e saber ler. Nem todos os livros são bem escritos.
Não há como comprar nas melhores livrarias e pedir opinião. É que as boas livrarias seleccionam os autores.
Feliz Natal

Comentar post



REDE
UNIVERSAL
DE NOTÍCIAS

João Godim

FREELANCER


contador de visitas
Contador de visitas
Diseño Web Sevilla



Mil Canções
dos últimos 30 anos


>REPORTAGENS

>EUROPA DIRECT

>METEOROLOGIA

>SOS URGENCIAS

>AEROPORTO LISBOA

>AEROPORTO MADEIRA

>TABELA DE MARÉS

.Fotos


GALERIA ROINESXXI
ROINES NOS MEDIA

.subscrever feeds

.pesquisar

 

EUROMILHÔES


BLOGS RECOMENDADOS


Ecclesia
Museu da Imprensa
Regador do Frei Boléo
Começar de Novo
Contextos Históricos
Portugalidade
USTV
Diversidades
Motivo(s) em foco
Guiné - Bart 1914
A TERRA E A GENTE
Actualidade
O Guardião
Fernando Pessoa
Eça de Queiroz
Laurinda Alves
Livros
Leituras
Livros em português
Hábito de Leitura
Casa dos Poetas
Biblioteca Nacional
Observatório da Língua
Língua Portuguesa no Mundo
NOVA ORTOGRAFIA
Português no Mundo Árabe
Observatório da Emigração


José Régio/João Vilaret
A Procissão/João Vilaret
Pablo Neruda
Gabriel Garcia Marques


Coro da Catedral
Projecto Tio
Televisão Saloia
U.Sénior Machico
U.Sénior Funchal
Academia Sénior
Gastronomia Madeirense

PAISES DO MUNDO

11 DE SETEMBRO 2001

ENCICLOPÉDIA UNIVERSAL

FILMES DE OURO

FILMES PORTUGUESES

LA BALLADE DES GENS HEUREUX
LA VIE EN ROSE
ODE TO MAASTRICHT

VIDEOS MUSICAIS

Amália Rodrigues
Conjunto Académico João Paulo / Sérgio Borges
Manuel Freire
António Prieto
Love Story
Demiss Roussos
Frank Sinatra
Sinatra e Jobim
Vinicius de Moraes
Roberto Carlos
Julio Iglesias
Chico Buarque
Elvis Presley
Conjunto João Paulo
Música árabe
Música céltica
Maria Callas
Laura Pausini
Andrea Bocelli
Música relaxante
Vangelis
Mozart
You light up my Life
Beethoven
Franz Liszt
BeachBoys
Beatles
Elton John
Gigliola Cinquentti
Edith Piaf
Celine Dion
Pavarotti
Louis Armstrong
Nat King Cole
Dont Worry Be Happy

AS MAIS FAMOSAS CANÇÕES DE NATAL

VIOLA OK
Viola clássica Viola/Guitarra
Guitarra/Carlos Paredes
Viola/Gips Kings
Viola/intantil!
Viola/genial!!!
Guitarra Espanhola
Viola:Over the Rainbow
Viola: Kenny Rogers
Viola:José Feliciano