.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Sondagem

.ROINES RUTIS

O site - www.rutis.org

.Comentários

Um livro que nos faz abrir os olhos. São muitas a...
Apesar das diferenças de para país a União Europei...
Desta notícia, de 1966, só me lembro do mundial de...

.Arquivos

AGENDA ROINESXXI

.Links

.SENIORS - MAYORES - ANZIANI - 前輩 > SENIOR LIFE IN THE WORLD

ROINESXXI = SÉNIOR do século XXI | Journal du XXI siècle - Journal of XXI century - Diario del siglo XXI – Jornal do século XXI - Journal di XXI secolo | Portugal tem 245 universidades seniores, 35 mil alunos e 4.500 professores voluntários | Museu do Louvre (Paris) recebe 10 milhões de turistas/ano, Portugal recebe 18 milhões de turistas | Portugal apresenta o mais baixo nível salarial dentro da Zona Euro | Lisboa é das cidades mais "baratas" da Europa, Zurique é a mais cara | Mais de 455 mil pessoas já viram este blog | Tríade para ser feliz: QUERER, APRENDER, FAZER | A Constituição Portuguesa tem 296 artigos | Portugal tem 308 municípios e 3 091 freguesias | Dia dos roinesianos é a 19 de Fevereiro | Existem no mundo mais de 2.700 línguas, a mais falada é o mandarim | Cabo Girão (na Madeira) é o promontório mais alto da Europa e o 2.º mais alto do Mundo | A igreja Católica em Portugal tem 52 bispos e 3.797 padres | Blog ROINESXXI / address > https://roinesxxi.blogs.sapo.pt/
Sábado, 18 de Agosto de 2018

PATRIMÓNIO... NOSSO

C.M.Lx teto.jpg

Conhecemos quem faça das férias roteiros culturais aos mais diversos sítios. Podem ser Igrejas, Câmaras Municipais, Museus e casas-museus de escritores e pintores, chafarizes, rotas do vinho, fontanários, indústria local, artesanato, escolas, universidades, quintas, parques naturais, enfim, roteiros ao alcance de todas as bolsas e com entrada livre. Muitos dos roteiros estão no nosso espaço territorial e não os conhecemos!

C.M.Lx edifício.jpgOs Paços do Concelho de Lisboa é dos edifícios públicos a visitar, o seu estilo neoclássico segue a mais exigente arquitectura europeia, a escadaria central é imponente, tal como é o salão nobre. As pinturas no tecto e nas paredes laterais revelam requintes de enorme arte. Hoje, trazemos à evidência a Câmara de Lisboa, como podíamos citar as edilidades de Viseu, Coimbra, Porto, Vila Nova de Gaia, Faro, Angra do Heroísmo, Funchal, Setúbal, Évora, e muitos outras edilidades.

l.esadariaa.jpg

Os edifícios sedes camarários, assim como os tribunais, foram construídos de acordo com determinada concepção imponente. O mesmo aconteceu com as igrejas, mosteiros, seminários e conventos, com destaque para as construções edificadas durante a monarquia. A descoberta de “novos mundos” deu a Portugal privilégio de “conquistar” culturas com mais de dois mil anos que vieram enriquecer o nosso indelével património cultural.

C.M.Lx república 1910.jpg

Foi daqui (varanda dos Paços do Concelho de Lisboa) que, na manhã de 5 de outubro de  1910, José Relvas anunciava a proclamação da República em Portugal e a consequente queda da Monarquia.

publicado por j.gouveia às 09:05

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

MEMÓRIA DE GUERRA JUNQUEIRO

Abílio de Guerra Junqueiro (1850-1923), poeta, polemista e orador português dos mais notáveis, morreu há 95 anos. Por causa da sua fama de panfletário, foi equiparado aos franceses Vítor Hugo e Voltaire. Tradicionalista e anti-clerical, descendia de uma abastada família de agricultores, de Freixo de Espada à Cinta (Trás-os-Montes).

Em jovem, estudou Teologia, em vista de uma carreira eclesiástica, mas cedo enveredou pelo Direito, em Coimbra, e passou a pertencer ao famoso grupo da "Geração de 70", com Oliveira Martins, Ramalho Ortigão, Eça de Queirós e Antero de Quental, entre outros.

gj2.jpg

Interventivo a favor dos direitos civis e ao serviço da nobre causa política, desempenhou vários cargos oficiais, com destaque para o de Ministro de Portugal, na Suíça, que desempenhou entre 1911 e 1914.

Mais para o final da vida, sentiu-se desiludido, amargurado e crítico duro do que se passava à sua volta. Como escreveu Raúl Brandão nas suas Memórias: "Tenho conhecido em toda a minha vida dois ou três santos e alguns homens superiores. Nunca vi mágico da força de Junqueiro. Homem extraordinário! Às vezes Deus fala pela sua boca; outras - quando menos se espera - é o Diabo fosforescente e sarcástico... Sempre que o encontro fico atónito. (...)

A sua geração é, decerto, a maior geração que tem nascido em Portugal. (...) O que me parece que em Guerra Junqueiro é único, é a corda satírica. (...) Nunca se sentou para escrever. Fez os seus versos na rua e os seus poemas a passear na Praça. A sua dificuldade em escrever prosa  - era sentar-se".

>>>

gj0.jpg

(Guerra Junqueiro)

UM POVO RESIGNADO

> Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante.

Não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. (...)
Guerra Junqueiro, in "Pátria" (1896)

gj1.jpggj1.1.jpg

A Casa-Museu fica situada próximo da Sé do Porto.

publicado por j.gouveia às 10:30

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

NEW EUROPE

rua.jpg

A Europa Comunitária (União Europeia) está a ser mais eficiente na informação destinada aos cidadãos. Mais prática, mais concisa e mais objectiva. Aquele emaranhado de termos técnicos e vocabulário intelectualizado que dificultavam a compreensão da mensagem, parece estar agora a ser tornar mais directa, mais acessível e mais interessante. A UE deixa de ser um bicho de sete cabeças!

Não se pode mobilizar uma Europa para patamares mais solidários e interactivos quando os mais de 500 milhões de cidadãos desconhecem o que está a ser feito e como, no essencial, tudo funciona. A Europa não pode ser um bunker nem um palácio ao serviço de potências económicas ou de outra natureza. A Europa somos nós, nós e vós europeus de pleno direito.

aa.jpg

A União Europeia é constituída por 28 países (estados membros), 19 dos quais têm em comum a mesma moeda (euro).

publicado por j.gouveia às 11:59

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

POLÍTICA, SEM PATERNALISMOS

Semana das 15 horas de trabalho

Vivemos numa nova era. Rutger Bregman, autor de "Utopia para Realistas",diz que a inovação tecnológica leva-nos a abandonar  "ideias obsoletas" e ter "coragem política" de tentar novas, sem preconceitos e sem o "paternalismo da esquerda".

A solução não é dar um peixe a um homem, mas também não faz sentido, ao contrário do que diz o ditado, limitarmo-nos a ensiná-lo a pescar. Também é preciso dar-lhe meios para comprar uma cana de pesca. Na defesa de um rendimento básico incondicional para todos.

uu.jpg

Jornalista, escritor e historiador, Rutger Bregman nasceu na Holanda, em 1988, e é “um dos jovens pensadores mais promissores da atualidade”, Publicou quatro livros sobre história, filosofia e economia. Em 2013 ganhou o prémio Liberales (Bélgica) para o melhor livro de não-ficção do ano e foi nomeado duas vezes para o European Press Prize pelo seu trabalho jornalístico para a plataforma The Correspondent.

Bregman diz que ideias como o rendimento básico universal, entre outras (como a semana de trabalho de 15 horas), são “o corolário da social-democracia” e a resposta para o futuro que aí vem. Basta que haja “coragem política” para mudar os “disparates” que existem no Estado Social que temos. Política, sem paternalismos, para lá se caminha.

publicado por j.gouveia às 11:32

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 14 de Agosto de 2018

A MAIOR PONTE DA EUROPA

pontec.jpg

Em Agosto de 1966 (dia 6), foi inaugurada a Ponte Salazar, sobre o Tejo, em Lisboa, actual Ponte 25 de Abril. Mas, como a memória é curta, pouco se fala hoje em dia daquele empreendimento colossal que modificou a paisagem da capital do País, com novas vistas e património notável, só comparável em importância e utilidade à Torre de Belém ou ao Centro Cultural.

Menos de quatro anos após o início dos trabalhos de construção, ou seja, passados 45 meses, a ponte sobre o Tejo foi inaugurada, seis meses antes do prazo previsto, numa cerimónia que decorreu do lado de Almada, na presença das mais altas individualidades portuguesas, entre as quais o Presidente da República daquele tempo, o Almirante Américo Tomás, o então Presidente do Conselho de Ministros, Oliveira Salazar e o Cardeal Patriarca de Lisboa D. Manuel Gonçalves Cerejeira.

Recebeu inicialmente o nome de "Ponte Salazar" e após o 25 de Abril de 1974 foi rebaptizada com  o nome de "Ponte 25 de Abril". O seu custo rondou, preço à época da sua construção, o valor de dois milhões e duzentos mil contos, o que corresponde a perto de 11 milhões de euros.

pontea.jpgponteb.jpg

A mudança de nome (de Salazar para 25 de Abril) não apagou a iniciativa do governo nem dos seus governantes e muito menos do presidente da República de então. O passado é passado mas não deixa de permanecer, mais não seja, nas milhentas folhas da história, quer a Ponte quer o memorável 25 de Abril. Consulte-se os jornais da época, únicas notícias que ficam para sempre.

Video > https://www.youtube.com/watch?v=ixCDnz8OFgQ

publicado por j.gouveia às 08:39

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 13 de Agosto de 2018

MOSCATEL - UVA ROXA COM NOME DE BRANCA

masc3+.jpg

Moscatel é um dos vinhos licorosos conhecido dos portugueses, a seguir aos vinhos licorosos do Porto e da Madeira. Tem um tal odocicado que combina com alguma doçaria e até com alguns petiscos caseiros. Para quem gosta!

Nada bom é quando numa exposição pública, promovida por duas autarquias, aparece uma casta de uva roxa com indicação de uva branca (na foto). Há quem fique na dúvida: Será que a uva roxa dá vinho branco??? Não, não dá. Por muita protecção que São Pedro possa dar, por muita distinção europeia que possa ter e por muita regozijo que duas autarquias possam expressar. No melhor pano cai a nódoa...

NB: E a exposição chega ao fim sem rectificação do erro.

uva11.pnguva2.jpg

Contactoshttp://www.cm-alenquer.pt/ ; www.cm-tvedras.pt/  ; 

http://www.europarl.europa.eu

publicado por j.gouveia às 16:59

link do post | comentar | favorito

MIGUEL TORGA, SEM EXCLAMAÇÃO

O 12 de agosto de 1907 é a data do nascimento de Miguel Torga. Nasceu na monarquia, três anos e dois meses antes da implantação da República (5 de outubro de 1910). O 12 de Agosto não guarda mistério no bau da literatura portuguesa, por muito profunda que possa atingir a transversalidade da escrita daquele que foi um dos maiores escritores portugueses de todos os tempos.

Faça-se um brinde, uma saudação bem merecida. Não há nada de enigmático nem lugar a pontos de exclamação. Quem gosta de Torga, gosta da vida identificada e movida pela natureza. 

mt2.jpg

Uma mensagem, entre muitas outras, escrita por Torga, vamos encontrar nas terras altas da Régua, com paisagem deslumbrante sobre o Douro. Ele escrevia o que via e sentia. A imagem mental poderosa de Miguel Torga deixa-nos uma narrativa inequívoca.

Na imagem, no ponto mais alta da Régua, junto à igreja que ele frequentava e onde por ali caminhava e escrevia, encontra-se está placa com um naco de prosa da sua autoria. Lugar de visitas... só para estar onde esteve o escritor, falecido em 2006.

Fez, ontem, 91 anos que nasceu. Faça-se um brinde, porque Miguel Torga é dos raros escritores que continua vivo entre nós, entre as obras que nos deixou, entre os que gostam da escrita semeada e temperada pelos socalcos da natureza infinita. Sem pontos de exclamação.

publicado por j.gouveia às 16:07

link do post | comentar | favorito

ESTADO DE VIDA

A orientação mental da mocidade contemporânea comparada à orientação dos rapazes do meu tempo estabelece entre as nossas respectivas cerebrações uma diferença de nível que desloca o eixo do respeito na sociedade em que vivemos obrigando a elite dos velhos a inclinar-se rendidamente à elite dos novos” (Ramalho Ortigão, 1836–1915).

ro1.jpg

(Ramalho Ortigâo)

Sem ofensa e em assumida realidade. Os valores não mudam nem têm idade. Eliminar o bom é dar guarida ao mau. Ramalho Ortigão foi jornalista, escritor, bibliotecário, professor (teve como aluno Eça de Queirós), entre outras profissões. A crítica da época descrevia-o como frontal “numa linguagem clara, fluente e sólida, estimula a reflexão e a crítica, combate a mediocridade e desmascara a intriga e a corrupção”.

Nem os novos devem render-se aos velhos, nem os velhos devem render-se aos novos, nem culto nem veneração, mas apenas a interacção, pois tanto pode haver jovens velhos como velhos jovens. Acima de tudo, o respeito. Há muito que os velhos aprenderam o que os novos estão agora a aprender!

publicado por j.gouveia às 10:52

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 12 de Agosto de 2018

O FRIO CONSERVA A VIDA

O futuro pertence às bactérias

Foi o frio que moldou a espécie humana, considera o escritor e investigador espanhol José Enrique Campillo. No livro “Homo Climaticus”, o autor defende que as eras glaciares alternadas com aquecimentos globais quase levaram à extinção da vida, mas também permitiram “a solução mais versátil e eficaz para a sobrevivência: o cérebro”.

“O clima criou o cérebro humano, que é um produto do frio e é a ferramenta que nos permitiu superar a maior parte das adversidades climáticas”. A cultura e a história também foram influenciadas da mesma forma determinante, como no caso em que o frio “foi o único inimigo a que Roma não foi capaz de fazer frente”.

O auge do império romano aconteceu durante uma época de aquecimento global “superior ao actual” e decaiu quando o clima arrefeceu, trazendo a fome e levando as tribos bárbaras do norte a descer para conquistar a península que é hoje Itália, que com os rios congelados, tinham caminho aberto para atravessar a Europa.

frio.jpg

Alguns séculos mais à frente, entre 1783 e 1784 o vulcão islandês Laki entrou em erupção e espalhou cinzas e gases tóxicos que atravessaram o Atlântico e chegaram à Europa, “envenenando o ar, aumentado o desastre agrícola e pecuário” que já se verificava.

“A mistura de baixas temperaturas, a fome, o caos civil e a iluminação filosófica” combinaram-se para a Revolução Francesa surgir uns anos mais tarde, em 1789, argumenta ainda José Enrique Campillo.

“O homem sobreviveu a alterações climáticas mais severas” do que a que se verifica hoje, acrescenta o autor do “Homo Climaticus”, considerando que se trata de “um fenómeno natural que está a ser influenciado de forma significativa pelos humanos, algo que acontece pela primeira vez na história do planeta”.

clima1.jpg

As consequências da intervenção humana no clima “são imprevisíveis” e a única coisa de que se pode ter certeza é que “o futuro pertence às bactérias”, que sobreviverão à extinção dos seres humanos, “condenados a desaparecer”.

publicado por j.gouveia às 10:42

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 11 de Agosto de 2018

GUINÉ - CERVEJA E AGUA MINERAL

A cerveja Pampa tem qualidade para ombrear com as melhores cervejas importadas”, garante Bem Nair Lopes, directora comercial da primeira (e única) cervejeira guineense. A fábrica, sediada em Bissau, está equipada com qualificadas tecnologias e possui “ uma larga cuba de cobre que contém todos os ingredientes que dão à Pampa o seu sabor fresco e agradável de malte”.

O mercado guineense regista um consumo anual da ordem dos 20 milhões de litros de cerveja. A Pampa distingue-se pelo “paladar único da sua água”. O maior handicap, no presente, reside na necessidade de importar “cerca de  90 por cento dos seus ingredientes, incluindo malte, açúcar, garrafas, cápsulas e cartões de embalagem.

pam.jpg

A par da cerveja Pampa, a Guiné Bissau tem ainda a produção de sumo e vinho de caju, bem como de água mineral (captada a 160 metros de profundidade). A Guiné Bissau tem aproximadamente um milhão e 600 mil habitantes.

A pouco e pouco, a Guiné vai auto criando e ganhando sustentabilidade aos seus bens. Longe vão os tempos em que, em Bissau, os guineenses e os militares portugueses apenas podiam obter cerveja importada. A independência, em Setembro de 1974, abriu novos horizontes a quem estava vedado o acesso à evolução natural da humanidade. Bem haja.

gb2.jpg

publicado por j.gouveia às 13:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

CALOR E ALTAS TEMPERATURAS EM PORTUGAL

“Uma escaldante onda de calor está varrendo Portugal, tendo elevado a temperatura a 45,5ºC à sombra. Em Lisboa a temperatura subiu a 35ºC, tendo sido em Elvas que se registou o máximo de 45,5ºC". A notícia podia ser de agora, mas não é: foi publicada em 1949, no jornal "A Manhã".
Se ouvir dizer por aí que “a vaga de calor que passou sobre o país nos últimos dias provocou incêndios nas florestas”, não pense que só agora é notícia, porque já em 1938 foi escrito, no "Diário da Tarde". O calor em Portugal tem estado presente nos jornais — portugueses e não só — ao longo dos anos, em episódios que marcam a história. Um calor tropical, incêndios nas florestas, desmaios na rua e 45,5ºC à sombra. De 1884 a 1949 o calor também foi notícia em Portugal.

caa.jpg

O calor dos últimos dias no território nacional não é novidade. Em 1884 já se falava num calor “tão intenso em Portugal que tinha danificado a vegetação”, bem como da “falta de água”, em 1919. Já em 1930, “em Lisboa a temperatura subiu como nunca”, falando-se até num “calor tropical” que fez “numerosas pessoas desmaiarem nas ruas”. No mesmo ano — e à semelhança de 2018 — o verão “tardou mas chegou” e isso fez “as alegrias dos cervejeiros” na capital do país. Mas se o verão com altas temperaturas foi noticiado, de fora não ficou a neve em pleno mês de Julho, em 1889, na Guarda.
Em 1938 e 1943, as páginas dos jornais também os assinalaram. “A vaga de calor que passou sobre o país nos últimos dias provocou incêndios nas florestas” e “nos campos e nas matas”, havendo também referência a uma “tal violência que ameaça atingir as casas”.

cbb.jpg

O desespero das populações e a admiração pelos fenómenos verificados também foi sendo referida. Em 1949, a onda de calor em Lisboa “causou tremendo pânico” e “centenas de pessoas desmaiaram nas ruas, principalmente mulheres. Muitas aterrorizadas e julgando que havia chegado o fim do mundo, começaram a rezar”. Em Coimbra, o rio Mondego “ficou seco em várias partes” e “viam-se amontoados milhões de peixes mortos”; registaram-se então “45ºC à sombra”.
O calor e altas temperaturas em Portugal sempre ocorreram, com mais ou menos dimensão.

calor.png

publicado por j.gouveia às 10:43

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Agosto de 2018

MUSEU DA CERVEJA EM LISBOA

mc1.jpg

Lisboa tem muitas cervejarias mas Museu da Cerveja só há um, fica na Praça do Comércio, a poucos metros de distância do Martinho da Arcada, famoso café frequentado por Fernando Pessoa, Almada Negreiros e outros ilustres da cultura.

O Museu da Cerveja dá-nos a conhecer a evolução histórica de uma das bebidas alcoólicas mais consumidas no mundo como proporciona a oportunidade de apreciar vários sabores e desfrutar de uma restauração recheada de diversificada gastronomia.

mc2.jpg

Museu da Cerveja, foi fundado em 2012.

publicado por j.gouveia às 12:18

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

AÇORES - O MELHOR CHÁ DO MUNDO

cha1.jpgÚnica região da Europa a produzir chá

A notícia é recente: de acordo com a investigação do especialista José Baptista, doutorado em bioquímica analítica,  o "chá verde" dos Açores possui uma substância que fomenta as funções cognitivas e pode combater demências como Parkinson ou Alzeimer, além de aumentar a criatividade. “Depois de fazer uma recolha [de chás de todo o mundo] cheguei à conclusão que o chá dos Açores consegue ser superior aos outros em teor de polifenóis”, disse o investigador, que já esteve ligado a várias universidades portuguesas e do Canadá.

Os polifenóis são substâncias químicas que estão presentes nos vegetais e frutos, indicando estudos científicos recentes que são muito benéficas aos seres humanos e, por isso, devem ser incluídas na alimentação.
De acordo com a comunidade científica, os alimentos que são ricos em polifenóis possuem várias ações importantes no corpo, sendo antioxidantes, ajudando ainda a dar mais energia.

O investigador, que estudou dezenas de chás da China, Japão e Tailândia - e estuda esta planta há cerca de 10 anos, publicando estudos científicos - salvaguarda que existe um chá chinês “muito semelhante” ao açoriano, cultivado junto ao mar, mas com três vezes mais teína do que o chá verde dos Açores.

José Baptista, que está a desenvolver estudos para apurar em qual fase da planta do chá dos Açores existe a substância que vai aumentar as funções cognitivas, refere que este é “menos amargo” do que os restantes, o que o levou a suspeitar que possui um aminoácido que só existe nos Açores, ligeiramente adocicado.

achs.jpg

O cientista, além de concluir que o chá dos Açores “é mais rico”, quer agora criar condições para explorar esta potencialidade do chá verde, destacando que o aminoácido, meia hora depois de ingerido, chega ao cérebro e vai estimular os neurotransmissores como a acicolina, que combate o Alzeimer e a Doença de Parkison, por exemplo.

Explicou ainda que o aminoácido identificado no chá dos Açores possui um "efeito contrário" a excitantes como a cafeína, surgindo como um relaxante natural sem efeitos secundários como a sonolência, como nas benzodiazepinas (Xanax).

José Baptista, que já colaborou com o Instituto de Oncologia do Porto no desenvolvimento de metodologias que ajudam a diagnosticar o cancro em fase prematura, fez a opção pelo estudo do chá devido à sua riqueza em antioxidantes.

apacote.jpg

O chá foi introduzido nos Açores no século XIX, tendo a planta vindo do Brasil, sendo esta a única região europeia a produzir esta cultura. Mantêm-se hoje duas unidades, as fábricas da Gorreana, um negócio de família que começou em 1883, e Porto Formoso, ambas no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel.

publicado por j.gouveia às 10:44

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 9 de Agosto de 2018

LISBOA - NOTÍCIAS DA IGNORÂNCIA

brasil portuga.jpg

  1. Lisboa banhada pelo oceano pacífico?
  2. O idioma oficial é o português mas fala-se fluentemente o espanhol?
  3. Lisboa é uma cidade plana?
  4. Lisboa tem clima tropical húmido?
  5. Graças ao estreito de Gibraltar, Lisboa liga-se também ao oceano Atlântico?
  6. Quase 2/3 da capital portuguesa desapareceram após a II guerra mundial, mas o primeiro-ministro de então, Marquês de Pombal, providenciou a recuperação das ruínas?

1) - Oceano Atlântico e não Pacífico ; 2) - O português é a língua mãe de Portugal, criada em  1214 … idioma oficial é no Brasil e nos Palop’s; 3) -  Não é totalmente plana; 4) – Lisboa tem clima temperado mediterrânico; 5) – Toda a frente mar de Lisboa (tal como Portugal Continental) é banhada pelo oceano Atlântico; 6) – A II guerra mundial decorreu entre 1939 – 1945, e Marquês de Pombal viveu entre 1699 – 1782.

NB: A notícia publicada num jornal brasileiro não merece comentário mas apenas um reparo. Pena é que a notícia, para quem não conhece nem tem acesso a outros meios de informação, é recebida como verdadeira.

publicado por j.gouveia às 16:28

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

HOMEM - UMA ESPÉCIE, VÁRIAS ORIGENS

G1.jpg

Os humanos actuais são resultado de grupos distintos, que viveram em várias regiões de África e em ambientes variados, desde florestas a desertos, uma diversidade responsável pelas características da espécie 'Homo sapiens'. Segundo um estudo científico, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e do Instituto Gulbenkian de Ciência, "a evolução das populações humanas em África foi multi-regional.

Os nossos antepassados foram multi-étnicos. E a evolução do nosso material cultural foi multi-cultural”. Ou seja, os humanos actuais não derivam de uma só população de antepassados, com origem numa só região de África, como é aceite e referido com frequência em várias áreas do conhecimento.

Os cientistas resumem as suas conclusões numa expressão: “uma espécie, várias origens” e defendem que é necessário “olhar para todas as regiões de África para compreender a evolução humana”.

Ainda assim, o estudo não põe em causa a teoria geralmente aceite de que após surgir como espécie distinta, o ‘Homo sapiens’ coexistiu durante bastante tempo com outras espécies de humanos, como o ‘Homo floresiensis’, o ‘Homo neanderthalensis’ ou o ‘Homo naledi’, que foram desaparecendo face à expansão da espécie humana actual.

G2.jpggv1.jpg

publicado por j.gouveia às 10:15

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 8 de Agosto de 2018

JOGOS DE MORTE

Futebolistas num campo de concentração

O futebol e o desporto, em geral, são considerados actividades saudáveis, apesar da competição e do confronto a que estão sujeitos, de forma normal. Mas, quando predominam em campo outros interesses, até vinganças, autoritarismos e superioridades de cariz político, o que deveria ser um jogo de respeito e aceitação mútua pelos resultados conseguidos acaba por se ver envolvido numa "guerra sem quartel" e num "jogo de morte".

Foi o que acontece durante a II Guerra Mundial, em Agosto de 1942, quando a equipa de futebol FC Start, formado por ex-futebolistas do Dínamo e do Lokomotiv de Kiev, venceu pela segunda vez uma equipa de oficiais da Alemanha nazi... A então União Soviética e os territórios a ela adstritos estavam sob a ocupação militar do regime hitleriano.

A capital da Ucrânia, Kiev, por exemplo, sofreu os maiores horrores desde a ocupação, em Setembro de 1941, data em foram directamente mortos "30 mil judeus" e desmantelados serviços públicos, organizações profissionais e associações diversas.

jogo1.jpg

Perante tanta injustiça, jogadores de nomeada uniram-se para a constituição de uma equipa capaz de enfrentar o ditador nos estádios de futebol, entre outras medidas. E assim aconteceu, com os melhores resultados para os atletas anti-nazis... Só que o pior ainda estava para vir...

Uma semana depois, os elementos da equipa vencedora (FC Start) foram enviados para um campo de concentração, onde três deles foram logo executados e outro morre após ser torturado..
Enfim, no futebol não existem apenas heróis e lendas, também há mártires...

publicado por j.gouveia às 10:32

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 7 de Agosto de 2018

ROTA DAS CATEDRAIS NO PALÁCIO DA AJUDA

C1.jpg

Uma exposição inédita sobre o património das catedrais do país, com 110 peças, muitas delas tesouros nacionais, está patente ao público no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, até ao final do mês de Setembro.
Intitulada “Na Rota das Catedrais - Construções (d)e Identidades”, a mostra exibe dezenas de peças, muitas delas tesouros das catedrais, de museus, bibliotecas e arquivos, como pinturas, paramentos, documentos, objectos de culto e esculturas.

A peça mais antiga é um prato de cerâmica do século VIII antes de Cristo, descoberto em escavações na Sé de Lisboa, e a mais recente uma escultura "Pietá" de José Rodrigues, já do século XXI, da Catedral de Bragança. Mas, as peças são provenientes das catedrais de norte a sul do país, incluindo Madeira e Açores.

O bilhete de acesso custa cinco euros, só para a exposição, ou de oito euros, para a exposição e visita ao Palácio Nacional da Ajuda. O horário da visita funciona das 10:00 às 18:00, todos os dias, excepto à quarta-feira.

publicado por j.gouveia às 15:52

link do post | comentar | favorito

IMIGRANTES / REFUGIADOS

A imigração/refugiados na Europa, procedente de África e também da Ásia, continua imparável, ultrapassou há muito a barreira dos milhões de clandestinos. Não estamos perante uma imigração em concertação com os países europeus mas ante uma invasão desordenada, sem controlo e tremendamente complexa. Fazem-se negócios de escravatura de seres humanos, desde a partida, durante a viagem e à chegada de imigrantes entregues ao abandono.e2.jpg

No meio desta enorme confusão surgem “opinion makers” a acusar a União Europeia de não ter uma política de imigração. Criticam mas não apresentam soluções. Os erros são cometidos pelos políticos e não pelos povos. Vimos pequenas cidades europeias, como Calais, serem devastadas pela chegada maciça de imigrantes/refugiados  a quererem atravessar o canal da mancha para entrarem em Inglaterra. Calais, cidade tranquila, florida e muito asseada, ficou irreconhecível.

e1.jpg

Na fronteira do México com os EUA a imigração clandestina é outro pandemónio. O presidente Trump aprovou legislação que obriga o regresso dos imigrantes clandestinos às suas origens. Os americanos de nascimento e os imigrantes em situação legal nos EUA concordam com o presidente, só os críticos e aproveitadores do mal-estar social tentam tirar dividendos.

A imigração descontrolada acaba sempre, mais cedo ou mais tarde, por dar lugar à turbulência e ao caos, inclusive, nalguns casos, à militância terrorista. Não (nunca) à imigração invasora.

CALAIS - antes e depois da chegada dos refugiados.

ca.jpgcb.jpg

publicado por j.gouveia às 12:23

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Agosto de 2018

PRAIAS FORMOSAS

praia2.jpg

Todas as praias são formosas. Todas as praias são desejadas em dias de sol quente, mas nem todas podem ser visitadas. As melhores são as banhadas pelo mar salgado, só a seguir estão as fluviais. O iodo da água do mar é um bem para a saúde.

Nadar no mar não é o mesmo que nadar no rio. Nestes dias de sol quente, com temperaturas acima dos 40 graus, a praia é uns dos refúgios ideais, desde que sejam atentidas as recomendações feitas. Como alerta o velho slogan: "há mar e mar, há ir e voltar".

Boas braçadas, em crowl, mariposa, bruços ou costas, qualquer dos estilos serve. Boas férias.

praia3.jpgpraia1.jpgPRAIA5.jpg

Na primeira foto (areia dourada), os banhistas limitam-se a apanhar sol; Na última foto (praia de calhau e areia cinzenta), os banhistas passam a maior parte do tempo no mar, a nadar. A resposta está na qualidade e na temperatura da água do mar.

publicado por j.gouveia às 13:57

link do post | comentar | favorito
Domingo, 5 de Agosto de 2018

NÃO MATARÁS

Um discurso recente do Papa Francisco representa um decisivo passo em frente no sentido da condenação da pena de morte em qualquer circunstância e por uma questão de princípio.

Afirmou o Papa: "Deve afirmar-se energicamente que a condenação à pena de morte é uma medida desumana que, independentemente do modo como for realizada, humilha a dignidade pessoal. Em si mesma, é contrária ao Evangelho, porque voluntariamente se decide suprimir uma vida humana que é sempre sagrada aos olhos do Criador e cujo verdadeiro juiz e garante, em última análise, é apenas Deus.

Nunca homem algum, nem sequer o homicida, perde a sua dignidade pessoal, porque Deus é um Pai que sempre espera o regresso do filho, o qual, sabendo que errou, pede perdão e começa uma vida nova. Por conseguinte, a ninguém se pode tirar não só a vida, mas até a própria possibilidade de um resgate moral e existencial que redunda em proveito para a comunidade".

m2.jpg

Já São João Paulo II, na encíclica Evangelium vitae tinha dado um passo nesse sentido, afirmando que a pena de morte só poderia encontrar justificação num princípio de legítima defesa social (não numa ideia de proporcionalidade com a gravidade do crime cometido) e que serão hoje praticamente inexistentes as situações em que ela se possa justificar por não existiram alternativas de defesa da sociedade perante a perigosidade de um delinquente.

Seria de esperar este passo seguinte dada pelo Papa Francisco, que nega a legitimidade da pena de morte por uma questão de princípio. Na verdade, a tentativa de basear a legitimidade da pena de morte na legítima defesa social encontra dois obstáculos.

Por um lado, quando se executa a pena de morte, não se verifica, como se verifica nas situações de legítima defesa, uma agressão atual e iminente (não é legítima a defesa preventiva). Por outro lado, quando se provoca a morte de um agressor ilegítimo, esta não é diretamente querida (o que diretamente se pretende é a defesa própria ou alheia), mas um efeito indirecto não intencional. E isso não se verifica quando se executa a pena de morte.

m3.jpg

Esta evolução da doutrina da Igreja tem dado aso, nos Estados Unidos, a uma polémica em que uma das fações põe em causa a legitimidade do que alega ser uma rutura com a doutrina tradicional, que admitia a legitimidade da pena de morte, rutura de onde resultaria o descrédito de toda a autoridade moral da doutrina da Igreja.

A outra fração responde salientando que a aceitação da pena de morte (também rejeitada por alguns Padres da Igreja) não pode considerar-se doutrina definitiva.

A propósito de uma outra questão, onde também se deu uma evolução da doutrina católica, a questão da liberdade religiosa, o Papa emérito Bento XVI, afirmou, no seu célebre discurso à Cúria Romana de 2005, que uma aparente descontinuidade revela uma continuidade num plano mais profundo.

O reconhecimento do valor da liberdade religiosa no Concílio Vaticano II não é uma cedência às influências da cultura contemporânea, nem uma verdadeira rutura com a doutrina tradicional, antes um seu aprofundamento num sentido de uma maior fidelidade à mensagem original do Evangelho, ao anúncio de um Deus que não se impõe coercivamente, porque é Amor. Dizia também São João XXIII que o Evangelho não muda, nós é que o conhecemos melhor.

m1.jpg

De modo paralelo, também a recusa da pena de morte por princípio representa uma fidelidade maior à mensagem bíblica e evangélica. Deus não quer a morte do pecador, mas que ele se converta e viva (Ez 18,23).

A dignidade da pessoa não se perde com a indignidade dos pecados ou crimes que possa cometer, por muitos graves que estes sejam (vejam-se os episódios da mulher adúltera e do filho pródigo). A justiça não se confunde com a vingança (com o “olho por olho, dente por dente”) e deve ser completada pela misericórdia.

A pena de morte fecha as portas a qualquer conversão, reconciliação e misericórdia. De forma contraditória, pretende combater crimes contra a vida através de um ataque à vida, com o que isso representa de antipedagógico numa perspetiva de afirmação de uma cultura da vida.

Com a rejeição mais clara da pena de morte, a Igreja não se descredibiliza; pelo contrário, reforça a sua autoridade moral para condenar, com coerência, todas as violações da vida humana, em todas as suas fases, da conceção até à morte natural, de inocentes e culpados, de justos e pecadores.
> Pedro Vaz Patto

publicado por j.gouveia às 11:26

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito


REDE
UNIVERSAL
DE NOTÍCIAS

João Godim

FREELANCER


contador de visitas
Contador de visitas
Diseño Web Sevilla



Mil Canções
dos últimos 30 anos


>REPORTAGENS

>EUROPA DIRECT

>METEOROLOGIA

>SOS URGENCIAS

>AEROPORTO LISBOA

>AEROPORTO MADEIRA

>TABELA DE MARÉS

.Fotos


GALERIA ROINESXXI
ROINES NOS MEDIA

.subscrever feeds

.pesquisar

 

EUROMILHÔES


BLOGS RECOMENDADOS


Ecclesia
Museu da Imprensa
Regador do Frei Boléo
Começar de Novo
Contextos Históricos
Portugalidade
USTV
Diversidades
Motivo(s) em foco
Guiné - Bart 1914
A TERRA E A GENTE
Actualidade
O Guardião
Fernando Pessoa
Eça de Queiroz
Laurinda Alves
Livros
Leituras
Livros em português
Hábito de Leitura
Casa dos Poetas
Biblioteca Nacional
Observatório da Língua
Língua Portuguesa no Mundo
NOVA ORTOGRAFIA
Português no Mundo Árabe
Observatório da Emigração


José Régio/João Vilaret
A Procissão/João Vilaret
Pablo Neruda
Gabriel Garcia Marques


Coro da Catedral
Projecto Tio
Televisão Saloia
U.Sénior Machico
U.Sénior Funchal
Academia Sénior
Gastronomia Madeirense

PAISES DO MUNDO

11 DE SETEMBRO 2001

ENCICLOPÉDIA UNIVERSAL

FILMES DE OURO

FILMES PORTUGUESES

LA BALLADE DES GENS HEUREUX
LA VIE EN ROSE
ODE TO MAASTRICHT

VIDEOS MUSICAIS

Amália Rodrigues
Conjunto Académico João Paulo / Sérgio Borges
Manuel Freire
António Prieto
Love Story
Demiss Roussos
Frank Sinatra
Sinatra e Jobim
Vinicius de Moraes
Roberto Carlos
Julio Iglesias
Chico Buarque
Elvis Presley
Conjunto João Paulo
Música árabe
Música céltica
Maria Callas
Laura Pausini
Andrea Bocelli
Música relaxante
Vangelis
Mozart
You light up my Life
Beethoven
Franz Liszt
BeachBoys
Beatles
Elton John
Gigliola Cinquentti
Edith Piaf
Celine Dion
Pavarotti
Louis Armstrong
Nat King Cole
Dont Worry Be Happy

AS MAIS FAMOSAS CANÇÕES DE NATAL

VIOLA OK
Viola clássica Viola/Guitarra
Guitarra/Carlos Paredes
Viola/Gips Kings
Viola/intantil!
Viola/genial!!!
Guitarra Espanhola
Viola:Over the Rainbow
Viola: Kenny Rogers
Viola:José Feliciano